segunda-feira, 29 de junho de 2009

A mídia social mais queridinha pelos 'queridinhos' da TV.

Em julho, a série Ger@l.com será uma nova atração na grade da Globo. Acho que vai ser um programa voltado para o público jovem no estilo Malhação, mas tem uma característica interessante nisso aí: o Twitter será utilizado ao vivo e depois que o episodio terminar.


Esse mix de mídias tradicionais e online não é novidade na televisão. Algumas novelas utilizam blogs e outros recursos da internet. Mas arrisco dizer que o Twitter é a mídia online mais querida pelos “seres televisivos”.


A televisão ainda é o meio de comunicação mais impactante no Brasil. Então não é a toa que os twitteiros mais seguidos pelos brasileiros são personalidades como Marcelo Tas, Luciano Huck, Marcos Mion e Luciana Gimenez.

Programas de TV também têm seus perfis no sistema de microblogs, e os seguidores também somam um número bem expressivo – como é o caso de “Roda Viva”, “Descarga MTV”, “A Fazenda” etc.

Até Silvio Santos vêm apostando no potencial do Twitter de instantaneidade e de fidelização do público.


Fora do Brasil essa realidade não deve ser muito diferente. Foi depois que Oprah Winfrey citou o Twitter em seu programa que boa parte dos americanos começou a cadastrar seus perfis – foi um boom. Outro americano que é um dos mais seguidos e ativos do Twitter é o ator Ashton Kutcher.


Mas por quê?


Fiquei pensando nos motivos do Twitter ser tão bem aceito entre as celebridades da TV e algumas coisas me chamaram atenção.

Nessa mídia social, a “amizade” entre os usuários não precisa ser mútua. Ou seja, no Orkut e no Facebook quando eu sou amigo do Fulano, ele também é meu amigo. Mas no Twitter ser seguidor de alguém não significa que ele também vai te seguir. O Marcelo Tas, por exemplo, é seguido por mais de 115.000 twitteiros, mas segue menos de 500.

Isso faz muito sentido quando falamos de celebridades. Afinal, milhares de pessoas são “seguidoras” de um famoso, mas a celebridade não conhece a maior parte de seus fãs.


Outra característica do Twitter é o caráter mais informativo do que pessoal. Lá não temos álbuns e nem listas de preferências pessoais. Um twitteiro pode ter uma breve descrição no seu perfil, mas o que realmente importa são os twitts – textos instantâneos de até 140 caracteres. Essa dinâmica faz do Twitter uma ferramenta mais estratégica e menos “intimista”.


Só para completar: vi notícias que o Twitter vai lançar um “selo” que confirma a autenticidade do perfil. O verdadeiro Marcos Mion, por exemplo, terá um selo confirmando que o apresentador realmente é dono daquele perfil. Isso tira a possibilidade dos perfis fake se passaram pelos famosos.


Mais um motivo para o Twitter virar a rede social mais queridinha entre os queridinhos da mídia.

2 comentários:

Dan Barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dan Barros disse...

depois que eu me tornar uma celebridade, quem sabe eu nao me cadastre nesse tal de twitter! hehe

blog interessante, filhão!

abraços